Archive for março \28\UTC 2011

Poucos profissionais do turismo falam inglês em Natal

março 28, 2011

O Diário de Natal publicou uma reportagem mostrando que poucos profissionais do turismo falam inglês em Natal. Esse fato é percebido por todos que andam pelos restaurantes, hoteis, meios de transporte, etc da cidade, o que o jornal fez foi comprovar a percepção na prática.

Uma repórter do jornal percorreu pontos turísticos da cidade fingindo que falava apenas inglês, e enfrentou dificuldades para obter serviços prosaicos, como tomar um cafezinho, acertar uma corrida de táxi, comprar artesanato, etc (ver relato).

Há alguns anos, Natal teve um repentino crescimento no número de turistas da Escandinávia (Suécia, Finlândia, etc), e os hotéis se viram cheios de estrangeiros falando inglês – e não sendo compreendidos; em anos recentes, o número de turistas caiu tão abruptamente quanto havia crescido (ver reportagens aqui e aqui).

Embora empresários procurem culpar a valorização cambial pela queda, é certo que o despreparo dos profissionais do turismo também teve seu peso; por que um sueco iria a um país onde até pedir um copo d’água é uma dificuldade, se ele pode visitar outras praias igualmente belas no Caribe ou na Ásia, onde a maioria das pessoas preparou-se para falar inglês?

E o problema não é apenas nos serviços privados, como hoteis e restaurantes; muitos turistas reclamam da falta de sinalização nas ruas em inglês (ou mesmo em espanhol), da falta de folhetos em outras línguas (até mesmo o site oficial da Secretaria de Turismo de Natal é escrito apenas em Português), da falta de centros de informação multi-língues.

As autoridades informam sempre que estão tomando as medidas cabíveis, mas pouco se percebe de concreto (algo equivalente, por exemplo, a essa iniciativa dos pequenos hoteis do Rio de Janeiro).

Com a Copa do Mundo se aproximando, Natal deveria se preocupar seriamente com essa questão.

Atualização: achei algumas boas notícias aqui e aqui; vamos torcer para que projetos como esse avancem.

Anúncios

Hoteis de Natal tiveram maior aumento de diária em 2010

março 23, 2011

Segundo conclusões do estudo Hotel Price Índex (HPI) – sigla em inglês para Índice de Preços de Hotéis, Natal foi a cidade brasileira que mais observou aumento nas diárias de hoteis em 2010; o HPI é elaborado periodicamente pelo site Hotels.com, que  intermedia reservas de hoteis em todo o mundo.

Em 2010, a diária média dos hoteis de Natal subiu 17%; a diária média de um quarto em Natal subiu de R$187, em 2009, para R$220, em 2010, o que foi o maior aumento do Brasil. Recife teve o segundo maior aumenot, com variação média de 15% ; Rio de Janeiro (os hoteis do Rio de Janeiro estão entre os mais caros do mundo), a quarta com 12% e São Paulo, a 10ª com 10%. No Brasil inteiro, a diária média ficou em R$ 252, com aumento de 1% em relação ao ano anterior.

Segundo a Associação da Indústria de Hotéis no Rio Grande do Norte (ABIH-RN), muito desse aumento deveu-se ao câmbio. A variação, segundo ele, nada mais é que o reflexo da queda do dólar e valorização do real frente a outras moedas, como o Euro. Devido a queda do dólar e valorização do real, capitais nordestinas, como Natal, por exemplo, estão mais caras que o Caribe.

Segundo o diretor executivo da ABIH/RN, não foram as diárias hoteleiras de Natal que subiram, mas as diárias hoteleiras que caíram em todo o mundo, com destaque para a Europa.  “Os preços deles caíram. Não foram os nossos que aumentaram. Nossos preços permaneceram os mesmos. Natal ficou cara, porque o preço lá fora caiu”, esclarece.

Pedro informa ainda que o estudo do Hoteis.com só leva em consideração reservas feitas através do site do grupo, cuja participação ainda é incipiente em Natal.  “É preciso esclarecer que esta não é uma pesquisa de mercado, mas apenas de um segmento, aquele coberto pelo site Hoteis.com”. Embora não saiba precisar a participação do grupo no mercado natalense, Pedro Nogueira afirma que ela ainda é pequena.

Veja mais informações sobre hoteis em Natal.

Estádio das Dunas custará mais de R$ 1 bilhão

março 18, 2011

Quando Natal foi escolhida para sediar a Copa, o projeto do Complexo Arena das Dunas estava orçado em R$ 300 milhões, que seriam bancados pela iniciativa privada. Seria criada uma Parceria que reformaria o estádio, reconstruiria o Centro Administrativo do Estado, e ainda haveria recursos para construção de prédios comerciais, hoteis, shoppings, etc.

A realidade saiu bem diferente: o custo total da Arena das Dunas poderá chegar a R$ 1.288.400,00! E isso só para o estádio.

Ou melhor explicando: esse é o montante que o Governo do Estado pagará à construtora OAS, a empresa que ganhou (porque foi a única participante) a licitação para construir o estádio. A OAS gastará R$ 400 milhões na construção, dos quais R$ 300 milhões serão financiados pelo BNDES.

Para ressarcir aqueles R$ 400 milhões à OAS, o Governo fará pagamentos mensais durante vinte anos; nos primeiros 11 anos, serão R$ 9 milhões por mês, que serão reduzidos nos anos seguintes, e que somados chegam à soma de mais de R$ 1 bilhão.

Natal está com o cronograma muito atrasado; em meados do ano passado, surgiram rumores de que a cidade poderia ser excluída da Copa. A primeira licitação realizada foi deserta, ou seja, não atraiu nenhum interessado.

Ao que parece, para não correr o risco de se ver sem nenhum interessado, o Governo fez uma série de concessões à construtora. Até mesmo os Deputados se espantaram com o resultado; a proposta ainda tem que ser aprovada pela Assembléia.

Isso tornaria o estádio de Natal o mais caro da Copa, pois até mesmo o Maracanã teve orçamento menor, de pouco mais de R$ 1 bilhão; e o Maracanã será, após a Copa, uma fonte certa de recursos, ao contrário da Arena das Dunas. E por coincidência, ainda ontem, o Sport Recife anunciou que, de forma mais barata e lucrativa, pretende reformar todo o estádio da Ilha do Retiro.

A Copa pode custar muito caro para o povo do RN.

Desfile das Kengas

março 7, 2011

OK, sabe-se que o Carnaval de Natal não é dos mais animados, não existem blocos com milhões de foliões como em Recife, Salvador e Rio de  Janeiro.

Mas há um evento que atrai a atenção das pessoas que querem tranquilidade no Carnaval e vem passar o período em Natal: o Desfile das Kengas.

Forma-se, de certa forma, um constraste entre o provincianismo de Natal e o vanguardismo das liberdades individuais. No Centro Histórico, próximo à Prefeitura e à Assembléia Legislativa, ocorre um desfile público de travestis, drag queens e assemelhados (as chamadas Kengas), culminando com a eleição da Kenga do Ano.

Tudo isso à luz do dia, sob a assistência de famílias, em clima ordeiro e festivo. Poucas cidades do Brasil contam com evento desse tipo.

Segundo o Diário de Natal, em 2011 quase 20 mil pessoas prestigiaram o evento:

Pelo 28º ano seguido o Centro Histórico de Natal se rendeu a folia e irreverência do “Desfile das Kengas” que atraiu segundo a organização do evento cerca de 20 mil pessoas na rua Ulisses Caldas.

A programação teve início por volta das 16h com show da cantora Kristal, seguida de apresentação com as kengas Jarita Nigth and Day e Shakira que levaram muita descontração ao público diverso que compareceu entre famílias, jovens e idosos.

No início da noite ocorreu o momento mais esperado o desfile para a escolha da “Kenga do Ano”. Foram mais de 30 participantes que desfilaram e a comissão julgadora escolheu a kenga “Aspasma” que desfilou com o figurino de lavadeira, em homenagem as mulheres trabalhadoras. A festa foi encerrada com uma orquestra de frevo que animou os foliões.

Veja fotos das Kengas.