Archive for the ‘negocios’ Category

Natal é a capital mais cara do Nordeste

julho 31, 2011

Uma reportagem do jornal norte rio grandense Tribuna do Norte traz uma notícia que pode surpreender a alguns turistas: Natal tem o custo de vida mais alto do Nordeste; o jornal informa que os custos com habitação, alimentação e transportes são mais altos em Natal do que em vizinhos maiores, como Recife, Fortaleza e Salvador.

O jornal fez entrevistas e investigações para descobrir o por quê desses preços mais altos.

No caso da habitação, constatou-se que o aluguel médio de um apartamento à beira-mar de Natal custa em média R$ 1.500,00, enquanto que em Salvador encontra-se local similar por R$ 1.000,00. Segundo os corretores da imobiliária Remax, que tem escritórios por todo o Nordeste, a explicação seria que a oferta de apartamentos em Natal seria bem menor do que nas outras cidades da região.

De fato, é visível que, tanto pelo controle ambiental mais rígido como pelo fato de o crescimento da cidade ter sido mais recente, a oferta de condomínios verticais nas áreas próximas à praia é mais restrita em Natal.

Se por um lado isso justifica o preço mais alto dos aluguéis, deveria também ser motivo para preços mais baixos nas hospedagens, já que Ponta Negra está completamente tomada por imóveis horizontais transformadas em pousadas. Entretanto, há pesquisas de fontes confiáveis que mostram que as diárias dos hoteis em Natal foram as que tiveram o maior aumento recentemente.

Segundo dados do Dieese, a cesta básica em Natal é a mais cara do Nordeste, seguida por Recife e Salvador. Isso significa que os restaurantes tem custos mais altos para preparar seus pratos. Junte-se a isso a relativa escassez de restaurantes na cidade, e fica explicado por que muitos turistas ficam com a sensação de pagarem caro por seus almoços em Natal.

O jornal informa ainda que Natal tem as tarifas de táxi mais caras do Nordeste; com o aumento recentemente autorizado, a bandeirada passou a R$ 4,15, e o quilômetro rodado passou a R$ 2,15  (em horário normal; na bandeira 2, esses valores ficam 40% mais altos).

Isso significa que uma corrida de Ponta Negra a um bairro central como Petrópolis, ou de Ponta Negra à Praia do Meio, poderá custar mais de R$ 30,00. A explicação do Sindicato dos Motoristas é: “Nosso trabalho é diferente; nossa cidade é pequena; nossas corridas são menores; o passageiro passa pouco tempo no nosso carro; nossa frota é de alta de qualidade; nossos motoristas passam por capacitação constante. Tudo isso influencia o preço”.

Quem vem a Natal deve preparar o bolso.

Natal luta contra o cartel de postos de gasolina

abril 9, 2011

Eis uma notícia alvissareira: a sociedade de Natal está travando uma civilizada batalha contra o cartel dos postos de gasolina.

O Rio Grande do Norte (mais especificamente a cidade de Mossoró, no oeste do Estado) é o maior produtor de gás e petróleo em terra do Brasil (e graças à refinaria Clara Camarão, o Estado logo será o único a ser autossuficiente em todos os derivados de petróleo).

Apesar disso, os natalenses pagam um dos preços de combustível para automóveis (englobando gasolina, álcool e gás) mais altos do Brasil. Nesse início de abril de 2011, em muitos postos os preços da gasolina foram reajustados para R$ 2,99 o litro; nessa mesma época, na vizinha João Pessoa, os preços giravam ao redor de R$ 2,50; no Recife, o aumento para R$ 2,70 também causava protestos.

Mas não é o preço em si que causa mais revolta entre a população. O maior motivo de indignação é que os preços sobem no mesmo dia, e pelos mesmos valores; de quando em quando, ocorrem promoções, e os preços também baixam no mesmo dia, e nos mesmos valores (até os décimos de centavos).

Os preços são livres, os postos podem vender até por R$ 100 o litro, se encontrarem comprador. Mas combinar preços é crime, tipificado em várias leis como prática de cartel. Caberia ao Ministério Público do Rio Grande do Norte denunciar a prática de crimes, mas aparentemente ele tem outras coisas com que se preocupar.

Cansada de esperar,  a população resolveu reagir. Uma página no twitter, que divulgava preços por toda a cidade, foi o estopim; diversas iniciativas de boicote aos postos de gasolina pipocaram (não abastecer em nenhum posto da BR, ou não abastecer nos postos das principais avenidas – Roberto Freire, Prudente de Morais e Salgado Filho, justamente as mais frequentadas por turistas); hoje, uma iniciativa democrática e efetiva: para boicotar um posto, ativistas abasteceram um valor mínimo e exigiram o teste de qualidade de combustíveis, reduzindo o movimento do posto.

A sociedade de Natal mostra que quando nem o Governo nem as autoridades se movimentam, o povo tem como se manifestar.

Poucos profissionais do turismo falam inglês em Natal

março 28, 2011

O Diário de Natal publicou uma reportagem mostrando que poucos profissionais do turismo falam inglês em Natal. Esse fato é percebido por todos que andam pelos restaurantes, hoteis, meios de transporte, etc da cidade, o que o jornal fez foi comprovar a percepção na prática.

Uma repórter do jornal percorreu pontos turísticos da cidade fingindo que falava apenas inglês, e enfrentou dificuldades para obter serviços prosaicos, como tomar um cafezinho, acertar uma corrida de táxi, comprar artesanato, etc (ver relato).

Há alguns anos, Natal teve um repentino crescimento no número de turistas da Escandinávia (Suécia, Finlândia, etc), e os hotéis se viram cheios de estrangeiros falando inglês – e não sendo compreendidos; em anos recentes, o número de turistas caiu tão abruptamente quanto havia crescido (ver reportagens aqui e aqui).

Embora empresários procurem culpar a valorização cambial pela queda, é certo que o despreparo dos profissionais do turismo também teve seu peso; por que um sueco iria a um país onde até pedir um copo d’água é uma dificuldade, se ele pode visitar outras praias igualmente belas no Caribe ou na Ásia, onde a maioria das pessoas preparou-se para falar inglês?

E o problema não é apenas nos serviços privados, como hoteis e restaurantes; muitos turistas reclamam da falta de sinalização nas ruas em inglês (ou mesmo em espanhol), da falta de folhetos em outras línguas (até mesmo o site oficial da Secretaria de Turismo de Natal é escrito apenas em Português), da falta de centros de informação multi-língues.

As autoridades informam sempre que estão tomando as medidas cabíveis, mas pouco se percebe de concreto (algo equivalente, por exemplo, a essa iniciativa dos pequenos hoteis do Rio de Janeiro).

Com a Copa do Mundo se aproximando, Natal deveria se preocupar seriamente com essa questão.

Atualização: achei algumas boas notícias aqui e aqui; vamos torcer para que projetos como esse avancem.

Estádio das Dunas custará mais de R$ 1 bilhão

março 18, 2011

Quando Natal foi escolhida para sediar a Copa, o projeto do Complexo Arena das Dunas estava orçado em R$ 300 milhões, que seriam bancados pela iniciativa privada. Seria criada uma Parceria que reformaria o estádio, reconstruiria o Centro Administrativo do Estado, e ainda haveria recursos para construção de prédios comerciais, hoteis, shoppings, etc.

A realidade saiu bem diferente: o custo total da Arena das Dunas poderá chegar a R$ 1.288.400,00! E isso só para o estádio.

Ou melhor explicando: esse é o montante que o Governo do Estado pagará à construtora OAS, a empresa que ganhou (porque foi a única participante) a licitação para construir o estádio. A OAS gastará R$ 400 milhões na construção, dos quais R$ 300 milhões serão financiados pelo BNDES.

Para ressarcir aqueles R$ 400 milhões à OAS, o Governo fará pagamentos mensais durante vinte anos; nos primeiros 11 anos, serão R$ 9 milhões por mês, que serão reduzidos nos anos seguintes, e que somados chegam à soma de mais de R$ 1 bilhão.

Natal está com o cronograma muito atrasado; em meados do ano passado, surgiram rumores de que a cidade poderia ser excluída da Copa. A primeira licitação realizada foi deserta, ou seja, não atraiu nenhum interessado.

Ao que parece, para não correr o risco de se ver sem nenhum interessado, o Governo fez uma série de concessões à construtora. Até mesmo os Deputados se espantaram com o resultado; a proposta ainda tem que ser aprovada pela Assembléia.

Isso tornaria o estádio de Natal o mais caro da Copa, pois até mesmo o Maracanã teve orçamento menor, de pouco mais de R$ 1 bilhão; e o Maracanã será, após a Copa, uma fonte certa de recursos, ao contrário da Arena das Dunas. E por coincidência, ainda ontem, o Sport Recife anunciou que, de forma mais barata e lucrativa, pretende reformar todo o estádio da Ilha do Retiro.

A Copa pode custar muito caro para o povo do RN.

Novo hotel de luxo em Natal

fevereiro 20, 2011

Notícia da Tribuna do Norte dá conta de que um novo hotel será inaugurado em Ponta Negra no segundo semestre de 2011.

O hotel terá padrão cinco estrelas e se chamará Best Western Premium Majestic; a linha Premium agrega os hoteis cinco estrelas da rede Best Western, que opera mais de 4000 hoteis em 80 países.

Além de mostrar que o setor hoteleiro (e, por consequência, o turístico) continuam recebendo investimentos em Natal (o Majestic recebeu R$ 19 milhões), dois outros pontos da notícia merecem atenção.

Primeiramente, observa-se uma expansão dos hoteis cinco estrelas para fora da Via Costeira; possivelmente, começaremos a ver hoteis voltados para homens de negócios sendo construídos em Ponta Negra e outros bairros de Natal, deixando os resorts de turismo na Via Costeira.

E o outro ponto a se notar é a progressiva profissionalização do gerenciamento de hoteis em Natal; hoje, ainda, a absoluta maioria dos hoteis e pousadas em Natal é gerenciada de maneira familiar ou semi-profissional.

No Rio de Janeiro, por exemplo, a maioria dos hoteis pertence a uma cadeia, como a francesa Accor ou a brasileira Windsor; a Best Western já opera resorts em Porto de Galinhas, Recife (o tradicional Best Western Manibu) e Joao Pessoa, e somente agora chega a Natal.

Enfim, pode-se afirmar que, com o aumento de opções de hospedagem, o turismo em Natal tem apenas a ganhar.

BR-101 no Rio Grande do Norte

março 20, 2010

O DNIT liberou hoje, 20 de março de 2010, mais um trecho de pista dupla da BR-101 no Estado do Rio Grande do Norte.

O projeto do Governo Federal prevê a duplicação da BR-101 no trecho entre Maceió e Natal. Com a duplicação, toda a economia desse extremo do Nordeste do Brasil ganhará impulso extra; o turismo em particular deverá se beneficiar, já que será facilitado em muito o trânsito de viajantes entre as capitais do Nordeste (ver essa nota sobre melhorias do acesso a Pipa).

Ressalte-se que, diferentemente do que se observa no sul e sudeste do país, todos os trabalhos vem sendo bancados pelo Governo Federal, e por isso não haverá nenhuma cobrança de pedágio na BR-101 Nordeste.

O trecho inaugurado hoje tem 11 km de comprimento, e vai do município de São José do Minipu em direção à Paraíba; com isso, já existem 28 km de estradas duplicadas entre Natal e a Paraíba.

A previsão é que os 42 km entre Natal e Arez, a cargo dos engenheiros do Exército, fiquem prontos até maio; o trecho de 38 km entre Arez e a Paraíba (que engloba Goianinha e Pipa), a cargo de empreiteiras privadas, deve ser entregue até setembro desse ano.

Copa 2014 em Natal está sob risco

março 16, 2010

É bem sabido que nenhum dos Estados do Brasil está com o cronograma em dia em relação às obras para a Copa de 2014; no início desse mês, o Ministro dos Esportes emitiu um alerta, lembrando que o prazo (já prorrogado) da FIFA para início das obras nos estádios é 3 de maio; à mesma época, nota do jornal Tribuna do Norte dava conta que Natal era uma das sedes (juntamente com o Rio de Janeiro) em que o atraso era maior.

Hoje, o jornal Tribuna do Norte publicou nota preocupante informando que não apenas o edital sairá com atraso, mas que também existem diversas outras pendências que podem comprometer até mesmo a realização da Copa em Natal.

Primeiro, quanto ao atraso: o comitê potiguar da organização da Copa confirmou que o edital sairá apenas em abril; como existem prazos para recebimento de propostas, recursos, etc, isso significa que a empresa vencedora, que estará habilitada para construir o estádio, será conhecida apenas em junho. Ou seja, mesmo que não haja nenhum outro contra-tempo (recursos judiciais, por exemplo) que postergue o processo, ainda assim haverá um atraso de quase dois meses em relação ao prazo estipulado pela FIFA.

Segundo, quanto aos concorrentes: o Governo do RN sempre propalou que diversas empresas estavam interessadas na construção e posterior administração do Complexo das Dunas; agora, o Comitê informa que, dos nove grupos que originalmente se inscreveram para participar do processo, apenas três apresentaram pré-propostas. Essa menor concorrência significa, entre outras coisas, que o preço pedido será maior (ou seja, exigirá maior desembolso do Governo), e que a qualidade técnica será menor.

E esse aumento de custos pode se tornar também um problema sério. Como outras pessoas já o haviam feito, dessa vez é o arquiteto Moacyr Gomes quem critica a viabilidade econômica-financeira do projeto: segundo ele, ao ceder o terreno, o Machadão e o Machadinho, o Estado estaria perdendo, no mínimo, R$ 296 milhões.

Outros problemas: o impacto ambiental das obras (a Semurb, órgão municipal, autorizou as obras, mas não houve consultas nem ao Idema, órgão estadual, nem ao Ibama, órgão federal); o retorno social do projeto (vão de fato ser criados empregos? para quem?); o impacto das eleições (o Governo Estadual conseguirá manter o foco no projeto, ao mesmo tempo que disputa a eleição desse ano?).

Apesar de todos esses enormes contratempos, o Coordenador do Comitê da Copa afirma que “tudo o que nós fechamos com a FIFA e a CBF está sendo cumprido; Natal é sede e vai ter estádio novo sim”.

Melhorias no trânsito de Pipa

fevereiro 26, 2010

Não há dúvidas de que Pipa é um dos locais mais atrativos do Nordeste e do Brasil.

Entretanto, é bem sabido também que esse rápido crescimento trouxe uma série de problemas ao vilarejo. Por exemplo, observaram-se nos últimos anos diversos casos de violência, de degradação ambiental, de uso de drogas, etc. (para acompanhar os problemas de Pipa, visite Pipa TeVê).

Alguns desses problemas podem até passar despercebidos para alguns visitantes (quem se hospeda num hotel de alto padrão, à beira-mar, com todos os serviços inclusos, pode não sentir nenhum desses contratempos mencionados), mas há uma deficiência em Pipa que todos percebem: o trânsito.

O entroncamento da BR-101, em Goianinha, de onde se faz o acesso a Tibau do Sul, e daí para Pipa, é caótico; a rodovia passa no meio da cidade, e os pedestres e veículos locais têm que compartilhar o espaço com aqueles que cruzam a cidade. Chegando a Pipa, a situação não melhora, pois as ruas são estreitas, e os espaços são densamente ocupados; deslocar-se de carro, encontrar estacionamento e fazer manobras em Pipa exigem paciência dos motoristas.

Felizmente, há esperanças de que esse quadro mude.

O Governo Federal espera concluir esse ano (ano de eleições federais e estaduais, ou seja, ano de inaugurar obras) os trabalhos de duplicação da BR-101, no trecho entre Natal e Maceió (passando por João Pessoa e Recife).

No Rio Grande do Norte, aproximadamente metade das obras está concluída; o trecho com mais atrasos é justamente o de Goianinha, onde houve discussões sobre o valor das indenizações – hoje, o trânsito em Goianinha está ainda mais confuso do que costumava ser.

Com a conclusão das obras, entretanto, o quadro deve mudar. A BR será alargada no trecho que passa dentro da cidade; a sinalização será toda refeita; prevê-se a construção de passarelas. Para facilitar o acesso a Pipa, serão construídos dois grandes elevados, um em cada lado da BR nas saídas de Goianinha; a intenção é que os motoristas façam os retornos por baixo dos elevados, e daí retornem e peguem a entrada para Tibau do Sul (optou-se por essa solução, em vez de apenas um grande viaduto no meio de Goianinha, porque o fluxo é grande tanto vindo de João Pessoa como vindo de Natal).

Ao mesmo tempo, o Governo do RN informou que pretende investir na estrada que liga Goianinha a Tibau do Sul (atualmente, estreita, com curvas e vegetação lateral) e também na que liga Tibau do Sul a Pipa (já em boas condições, é a estrada que passa ao lado do mirante do chapadão, um dos locais favoritos para fotos).

E mais recentemente, foi anunciada a formalização de um convênio entre Pipa e o Ministério do Turismo, a fim de se reurbanizar a avenida principal do vilarejo, a famosa Baía dos Golfinhos (essa é a rua de entrada em Pipa, que concentra muitos dos hoteis e serviços da vila).

Agora, resta torcer para que todos esses planos se concretizem.

Passaporte Verão : descontos para turistas em Natal

janeiro 18, 2010

A partir de 15 de janeiro passado, turistas que chegam a Natal podem solicitar o Passaporte Verão e usufruir de descontos de 5 a 50% em estabelecimentos de comércio e serviços na cidade, incluindo restaurantes e locadoras de automóveis.

O passaporte é emitido gratuitamente, e o principal ponto de distribuição será o Aeroporto Augusto Severo; a Prefeitura informou que também alguns shoppings e hoteis emitirão o passaporte. Além de permitir descontos, o passaporte trará ainda um mapa com as principais atrações turísticas de Natal e outras informações úteis.

A iniciativa da Prefeitura de Natal (que conta com apoio de entidades como Associação de Hoteis, Câmara Lojista, ABAVAbrasel) visa a conquistar ainda mais os turistas. Nesse mês de janeiro, espera-se que mais de 200 mil pessoas visitem a cidade; como de costume, diversos hoteis de Natal ficaram lotados durante o início do ano, e essa situação deve se manter até pelo menos o Carnaval.

Carnatal e a gripe AH1N1

dezembro 2, 2009

O Carnatal desse ano pode ser afetado pela epidemia da gripe Ah1N1.

Até o final de novembro, foram registrados no Rio Grande do Norte 74 casos de gripe A, dos quais nove redundaram em óbito. Milhares de outros casos de menor gravidade foram reportados; a estrutura hospitalar do Estado já está operando próximo à capacidade total, e não suportará um aumento abrupto no número de casos.

À medida que o início do Carnatal se aproxima, as discussões sobre os perigos de contágio da gripe se intensificam. Há evidentemente grande interesse dos organizadores em evitar alarmes, já que o evento, o maior de Natal, movimenta muito dinheiro. Os Governos também se beneficiam temporariamente de uma maior arrecadação, mas cabe a eles também zelar pela saúde da população; não houve até o momento nenhuma ação oficial dos Governos em relação ao Carnatal.

A Tribuna do Norte publicou entrevista com o presidente da Sociedade Riograndense do Norte de Infectologia, Hênio Lacerda, que foi muito enfático em suas declarações:

TRIBUNA DO NORTE: Qual o risco real de se ter um aumento nos casos da Gripe A com o Carnatal?
Hênio Lacerda: Um documento do mês de novembro, liberado pela Organização Mundial de Saúde, informa que, apesar dos dados sobre a doença serem escassos e levando em consideração alguns pontos como a incidência da doença no local, estima-se que em ocorrendo um evento de massa a contaminação com o vírus H1N1 pode variar de 10% a 30%. E como também é estimado neste documento, cerca de 10% das pessoas infectadas poderão evoluir para a forma grave da doença. E desses casos graves, cerca de 10% correm o risco de ir a óbito em decorrência da doença. Mesmo se tendo pouca informação, esse número por si só, já deveria alertar para a não realização do evento.

O que as autoridades precisam providenciar para conter um provável avanço da doença no Carnatal?
Não tem o que ser feito. As recomendações da OMS para a prevenção do H1N1 são completamente antagônicas ao Carnatal. A primeira é evitar aglomeração, depois vem não haver contato muito próximo, não compartilhar objetos pessoais. E neste evento, apenas em um bloco são cinco mil pessoas, onde não se consegue ter nem meio metro de distância um do outro. Não há recomendação de uso de máscara. Se é para ir de máscara é melhor cancelar o evento.

Apesar de alguns poucos casos de pessoas desistindo de participar do Carnatal, a possibilidade de contágio não parece estar afetando o evento. Resta esperar pelas consequências.